Seguidores

segunda-feira, 21 de abril de 2008

Homenagem a Brasília

Em meio ao pó do cerrado
nasceste à margem do dia
sonhos e postes plantados
por muitos Josés e Marias.
Com olhos prenhes de amor
e sob um céu azul sem fim,
tornaste menina-flor
celeiro de cor, um jardim

de ipês, flamboyants, manacás.
Traços modernos, esferas
acolhem quem aqui chegar
com o frescor das primaveras.

Hoje és uma jovem senhora,
és mais que símbolo de poder,
conservas os olhos de outrora
e gente que sabe fazer.

Basilina Pereira









Um comentário:

marcinha disse...

Basilina
Que lindo o seu poema em homenagem aos 48 nos de Brasília. Muito emocionante

Márcia Fernanda Peçanha Martins